sábado, 28 de maio de 2011

Tipos inúteis de fé - J. C. Ryle - J. C. Ryle

Existem dois meios pelos quais um homem pode perder sua alma. Quais são eles?
Ele pode perdê-la por viver e morrer sem nenhuma fé. Ele pode viver e morrer como
um animal, ímpio, ateisticamente, sem a graça e incrédulo. Este é um caminho seguro
para o inferno. Cuidado para não andar por ele.
Ele pode perder sua alma por aceitar determinado tipo de fé. Ele pode viver e morrer
contentando-se com um cristianismo falso e descansando numa esperança sem
fundamento. Este é o caminho mais comum que existe para o inferno.

O que quero dizer com fé inútil?

Em primeiro lugar, uma fé é totalmente inútil quando Jesus Cristo não é o principal
objeto e não ocupa o lugar principal.
Existem portanto, muitos homens e mulheres batizados que praticamente nada sabem
sobre Cristo. A fé deles consiste em algumas noções vagas e expressões vazias. “Mas
eles crêem, não são piores que outros; eles se mantêm na igreja, tentam fazer suas
obrigações; não prejudicam a ninguém; esperam que Deus seja misericordioso para
com eles! Eles confiam que o Poderoso perdoará seus pecados e os levará para o céu
quando morrerem”. Isto é quase a totalidade da sua fé.
Mas o que estas pessoas sabem de fato sobre Cristo? Nada! Nada mesmo! Que relação
experiencial eles têm com Seus ofícios e obra, Seu sangue, Sua justiça, Sua mediação,
Seu sacerdócio, Sua intercessão? Nenhuma! Nenhuma mesmo! Pergunte-lhes sobre a
fé salvífica; pergunte-lhes sobre nascer de novo do Espírito; pergunte-lhes sobre ser
santificado em Cristo Jesus. Que resposta você terá? Você é um bárbaro para eles.
Você lhes perguntou questões bíblicas simples, mas eles não sabem mais sobre elas,
experimentalmente, do que um budista ou um mulçumano.
E mesmo assim, esta é a fé de centenas de milhares de pessoas por todo mundo que
são chamadas de cristãs.
Se você é um homem deste tipo, eu o advirto claramente que tal cristianismo nunca o
levará para o céu. Ele pode fazer muito bem aos olhos dos homens; pode ser aprovado
no conselho da igreja, no escritório, no parlamento inglês ou nas ruas, mas ele nunca
o confortará; nunca satisfará sua consciência; nunca salvará sua alma.
Eu o advirto claramente, que todas as noções e teorias sobre Deus ser misericordioso
sem Cristo são ilusões sem fundamento e imaginações vãs. Tais teorias são puramente
ídolos da invenção humana, tanto quanto os ídolos hindus. Elas são todas da terra,
terrestres; nunca desceram do céu. O Deus do céu selou e nomeou Cristo como o
único Salvador e caminho para a vida e todos que quiserem ser salvos devem
satisfazer-se em serem salvos por Ele, do contrário, de forma alguma serão salvos.
Eu lhe dou um aviso legítimo: Uma fé sem Cristo nunca salvará sua alma.
Mas eu ainda tenho outra coisa a dizer. Uma fé é inteiramente inútil quando se une
qualquer coisa a Cristo com respeito a salvação da sua alma. Você não deve somente
depender de Cristo para salvação, mas deve depender de Cristo somente e
exclusivamente de Cristo.
Existem multidões de homens e mulheres batizados que professam honrar a Cristo,
mas na realidade O desonram grandemente. Eles dão a Cristo um certo lugar no seu
sistema religioso, mas não o lugar que Deus tencionou que Ele ocupasse. Cristo,
exclusivamente, não é “tudo em todos” para suas almas. Não!
É Cristo e a igreja; ou Cristo e os sacramentos; ou Cristo e Seus ministros ordenados;
ou Cristo e a bondade deles; ou Cristo e suas orações; ou Cristo e a sinceridade e
caridade deles, nas quais eles realmente descansam suas almas.
Se você é um cristão deste tipo, eu também o advirto claramente que sua fé é uma
ofensa a Deus. Você está mudando o plano de salvação de Deus em um plano da sua
própria invenção. De fato você está depondo Cristo do seu trono, dando a glória que
Lhe é devida a outro.
Eu não me importo quem lhe ensina sua fé, cuja palavra você confia. Se ele é papa ou
cardeal, arcebispo ou bispo, diácono ou presbítero, episcopal ou presbiteriano, batista,
independente ou metodista; quem quer que acrescente alguma coisa a Cristo, está
ensinando incorretamente.
Eu não me preocupo com o que você está juntando a Cristo. Se é a necessidade de
unir-se a igreja de Roma, ou de ser um episcopal, ou um sacerdote independente, ou
desistir da liturgia, ou de ser batizado por imersão. O que quer que seja que você
acrescente a Cristo no que se refere a salvação, você ofende a Cristo.
Atente para o que você está fazendo. Cuidado para não dar aos servos de Cristo a
honra devida a ninguém, além de Cristo. Cuidado para não dar às ordenanças a honra
devida ao Senhor. Cuidado para não descansar o fardo de sua alma em coisa alguma a
não ser Cristo e Cristo exclusivamente. Cuidado para não ter uma fé que seja inútil e
que não pode salvar.
É horrível não ter nenhuma fé. Ter uma alma imortal confiada ao seu cuidado e
negligenciá-la, é terrível. Porém, não menos terrível, é estar contente com uma fé que
não lhe pode fazer nenhum bem.

Não permita que esse seja seu caso.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

As duas visões de Jesus

O verbo ver nas Escrituras é muito significativo. Na língua portuguesa ver é olhar, fixar os olhos, mas no original grego o verbo ver pode ter vários significados.

João 20: 6-8, nos fala mais claramente sobre isto: "Chegou, pois, Simão Pedro, que o seguia, e entrou no sepulcro, e viu no chão os lençóis, e que o lenço, que tinha estado sobre a sua cabeça, não estava com os lençóis, mas enrolado num lugar à parte. Então entrou também o outro discípulo, que chegara primeiro ao sepulcro, e viu, e creu".

Quando diz que Pedro viu os panos, o verbo no original grego é teorei. Ali diz que ele contemplou, examinou, mas não pode compreender como aquele lenço podia estar enrolado separado dos lençóis. Quando fala de João, o verbo viu no original é eiden, isto é, ele viu e compreendeu, ele entendeu que Jesus tinha ressuscitado, e então creu. Pedro viu os panos, e formulou várias teorias, mas João teve revelação na sua visão e pode crer.

Mas João teve uma outra visão de Jesus em Apocalipse 1.12:18. Na primeira ele teve uma visão de fé. Os seus olhos foram abertos para crer no Senhor e na obra realizada na cruz. Naquele momento ele somente teve a revelação da Sua ressurreição, mas a segunda viu a Jesus em toda a sua glória. O apóstolo Paulo também teve estas duas visões. A primeira foi no caminho de Damasco; a segunda, quando foi arrebatado ao terceiro céu, onde ouviu coisas inefáveis que ao homem não é digno revelar (II Cor. 12.1-4).

A primeira visão que tivemos, foi para nos dar entendimento pelo Espírito para compreendermos as coisas que nos foram dadas gratuitamente por Deus. Coisas que os olhos carnais nunca viram e jamais podiam ver (I Cor. 2.9-13). Mas há a necessidade de outra visão, a de Jesus glorificado. Para vermos isto é necessário outro milagre do Senhor: que Ele nos dê o espírito de sabedoria e de conhecimento. Esta é uma visão que vem pelos olhos espirituais (Ef. 1.17-20).

A cura daquele cego de Betsaida também nos ensina sobre essas duas visões de Jesus (Luc. 8.22-25). A primeira é um milagre real. Fomos regenerados, libertos de nossa natureza perversa e escrava do pecado para andarmos em novidade de vida. Mas será que conseguimos ver o Senhor? Este cego não viu o Senhor. Como este cego, nós também podemos andar um bom tempo não enxergando claramente, vendo apenas os homens e não o Senhor.

Creio que apenas depois de vermos a Jesus, o Cristo exaltado à destra de Deus, com todo o poder nos céus e na terra, iremos fixar os nossos olhos nEle, o autor e consumador da fé (Hebreus 12.2). Só depois disso, iremos fazer como João: cair aos seus pés como morto; negarmos a nós mesmos, tomar a nossa cruz e segui-lo.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Meditação do dia

A superficialidade é a maldição do nosso tempo. A doutrina da satisfação instantânea é o principal problema espiritual. A necesidade desesperada de hoje não é de um número maior de pessoas inteligentes nem de pessoas talentosas, mas de pessoas com profunidade.
Richard Foster

domingo, 1 de maio de 2011

Homem Interior e o Homem Exterior
Christian Chen : Andai no Espírito


“Compreender esse assunto é o segredo da vida cristã frutífera”

O que significa eu interior e eu exterior? "Por isso, não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia" - (2 Co 4.16). Aqui há duas frases maravilhosas. Nosso homem exterior corrompe-se dia após dia, contudo nosso homem interior renova-se dia a dia. Isso significa que o homem interior corresponde ao nosso eu interior e o homem exterior corresponde ao eu exterior. O corpo e a alma são o homem exterior. Quando alguém toma decisões neste homem exterior de amar ou de odiar, essa decisão está relacionada ao eu exterior. Mas o espírito do homem com o próprio Espírito, ou Espírito Santo e o espírito do homem, são o novo homem.

A Característica do Novo Testamento - o Homem Interior

Segundo a Palavra de Deus, o cristão tem o homem interior e o homem exterior. Na época do Novo Testamento, a característica é o homem interior, porque esta é a época do Espírito Santo. Isso é algo completamente novo, diferente da época do Antigo Testamento. No Novo Testamento, o Espírito Santo foi dado a cada cristão e fez habitação em cada um; se seguirmos Sua liderança, se andarmos no espírito, este homem interior será renovado dia a dia. Que o homem exterior se corrompa a cada dia. Eu fui crucificado, que ele cresça e eu diminua. Esse é o segredo de nosso viver hoje!

Você pode afirmar que faz alguma coisa, que ama seus inimigos, mas você não é você quem ama, ninguém pode amar em seu homem exterior, em seu homem natural; a antiga natureza é incapaz de amar. No entanto, amamos e vivemos, mas esse viver é segundo o Espírito Santo. Demos graças ao Senhor por isso. Os cristãos são como um paradoxo. O cristão tem de viver essa vida o tempo todo. Se seu homem interior estiver sendo renovado dia após dia, ele se tornará cada dia mais forte e crescerá até a maturidade. Maturidade não significa ter uma mente brilhante e conhecer a Bíblia muito bem. Alguém pode até tornar-se professor de Teologia, pode ter uma alma grandiosa, seu homem exterior pode ser grandioso. Mas e seu homem interior? Ele está sendo renovado a cada dia? Isso é muito importante!

Para que Sejais Fortalecidos no Homem Interior

"Para que, segundo a riqueza da sua glória, vos conceda que sejais fortalecidos com poder, mediante o seu Espírito no homem interior" (Ef 3.16). Esse versículo mostra-nos que o homem interior precisa ser fortalecido. A maior parte do tempo nosso homem interior é fraco, mas Paulo ora para que Deus nos conceda que sejamos fortalecidos mediante seu Espírito. Na realidade, Paulo ora para que nosso homem interior seja fortalecido mediante seu Espírito. Nosso homem interior precisa ser fortalecido com poder, e esse poder é um poder interior. Como sabemos disso? Se continuarmos lendo, imediatamente veremos: "Sejais fortalecidos com poder mediante seu Espírito". Então o Espírito Santo que habita em nós nos fortalecerá.

O Capítulo 1 de Efésios fala-nos sobre o poder da ressurreição, o poder da ascensão. Esse poder é maior que o poder da criação, é o poder que ressuscitou Cristo dentre os mortos. E esse mesmo poder fez com que Cristo subisse aos céus. Esse é o poder do qual Paulo fala aqui. Os cristãos precisam desse poder, então o Espírito Santo os fortalece com o poder da ressurreição e da ascensão. Que privilégio nós temos! Que poder habita em nós! Possa nosso homem interior, não o homem exterior, ser fortalecido. Algumas pessoas costumam exibir-se quando tem algum dom, parecem maravilhosas, mas somos todos fracos em nosso homem interior.

A Vida Vitoriosa

Qual será o resultado se o homem interior for fortalecido com o poder da ressurreição e da ascensão por meio do Espírito Santo? Essa pessoa estará sempre na realidade daquele poder, daquela ressurreição; em outras palavras, a vida tragará toda a morte. Mesmo quando tiver problemas físicos, esse poder vivificará seu corpo.

Algumas vezes, por exemplo, quando nos preparamos para ir à reunião de oração, o inimigo nos ataca, então ficamos cansados, não temos desejo de orar. No entanto, se resistirmos ao inimigo, o poder da ressurreição fortalecerá nosso homem interior, a morte será tragada e experimentamos o poder da ascensão, e iremos orar com nossos irmãos. Descobriremos que estamos assentados com Cristo nas regiões celestiais, que todos os problemas estão debaixo de nossos pés. É assim que vivemos uma vida vitoriosa.

A Bíblia diz que seremos arraigados e alicerçados em amor. "Habite Cristo em vosso coração". Cristo habita no espírito do homem, porque Paulo disse: "O Senhor seja com o teu espírito". Não há dúvida que Cristo e o Espírito Santo habitam no espírito do homem. Quando o homem interior é fortalecido, a vida dentro do espírito começa a expandir-se. A alma humana é muito forte, é como uma grande muralha para o Espírito Santo no espírito do homem. É como se o Espírito Santo estivesse dentro de uma prisão, entre paredes. A vida de Cristo deseja sair, deseja alcançar nossa mente, nossa vontade e emoções, mas aquela parede é muito forte. Nosso homem exterior é muito forte, ele recusa ser quebrantado. Mas, graças a Deus, quando nosso homem interior é fortalecido, a vida de Cristo não estará mais aprisionada, poderá ser liberada, e descobriremos que Cristo habita em nosso coração.

Habitação de Cristo no Homem

Leia sua Bíblia com o auxílio de uma concordância e procure o significado da palavra "coração". Coração inclui mente, emoção e vontade e também a consciência do espírito do homem. É no coração que se estabelece a comunicação entre espírito e alma. Quando o homem interior é fortalecido, Cristo não apenas habita no espírito do homem, Ele expande Sua esfera de atuação até a alma. Ele não apenas habita no espírito do homem, mas começa a governar sua alma; em outras palavras, Ele passa habitar em seu coração, faz de seu coração Sua morada. Nosso Senhor não deseja apenas visitar nosso coração, Ele deseja fazer habitação ali. Quando Ele habita em nossos corações, Ele governa nossa mente, emoção e vontade. Dessa forma, nossa alma será transformada, pensaremos, então, como Cristo pensa, amaremos como Cristo ama. Estaremos sendo transformados de glória em glória, transformados à imagem de Cristo.

O Espírito Santo forma Cristo em nós, não apenas no espírito, mas também em nosso coração. Então Ele encontra Seu lugar de habitação e, ao mesmo tempo, nós encontramos nosso lugar de habitação, porque estaremos arraigados e alicerçados em amor. O amor é nosso fundamento. Não apenas Cristo encontrou Seu lar, nós também encontramos o nosso. O fundamento de nossa vida é o amor de Cristo. Esse amor é amplo, profundo e alto. Isso é maturidade.

Hoje é como se Cristo estivesse sem lar; Ele está no espírito do homem, mas está aprisionado porque nossa vontade é muito forte.

Quando dizemos não ao Senhor, é como se Ele estivesse aprisionado por nossa alma, porém se nosso homem interior for fortalecido pelo Espírito, então Cristo expandirá Sua esfera de atuação até nossos corações, transformará nossos corações em Sua moradia. Sabemos que o espírito do homem é o lugar de habitação de nosso Senhor. Será que seu homem interior está suficientemente forte a ponto de o Espírito poder penetrar sua alma e Cristo fazer Sua habitação ali?

Quando Cristo faz Sua habitação ali, nós também encontramos nosso lar. Então encontramos nosso descanso. Descobrimos que nossa casa está arraigada em amor. O amor é o fundamento dessa casa. Essa casa é a casa de Deus, a própria igreja. Com isso, podemos entender quão importante é o homem interior, ele precisa ser renovado dia após dia. Precisamos tomar a nossa cruz a cada dia, esse é o processo de crescimento diário, é assim que crescemos. Nosso crescimento no Senhor é gradual, e nosso homem interior precisa ser fortalecido.

Cristo não apenas estará em nosso espírito, mas poderá habitar em nossos corações para que estejamos alicerçados em amor, um amor que excede todo entendimento. Precisamos conhecer esse amor juntamente com todos os santos, por isso o espírito do homem é muito importante. O homem interior pode crescer até a maturidade e, quando isso acontece, descobrimos que estamos cheios de Cristo, e não encontramos nada de nós mesmos. Isso é maturidade. Que o Senhor fale ao nosso coração.