segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

A maturidade de Betânia

"Fizeram-lhe, pois, ali uma ceia, e Marta servia, e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele. Então Maria, tomando uma libra de ungüento de nardo puro, de muito preço, ungiu os pés de Jesus, e enxugou-lhe os pés com os seus cabelos; e encheu-se a casa do cheiro do ungüento" (João 12.2-3).

Betânia era uma aldeia, cerca de 3 kilômetro de Jerusalém, onde moravam Marta, sua irmã Maria e seu irmão Lázaro. Apesar de Jerusalém ser a cidade do Senhor, onde estava o templo que em tudo falava dEle, era em Betânia que Ele encontrava os seus amigos.

O nome Betânia quer dizer: Casa de figos. Em Jerusalém (figurada pela figueira - Mateus 21.19), Ele não encontrou fruto, mas em Betânia sim. Betânia nos mostra claramente também o crescimento da Igreja do Senhor. Na primeira vez que Jesus foi recebido em Betânia, na casa de Marta, Maria e Lázaro, Ele encontrou ali os seus amigos, mas ainda com várias necessidades e muito imaturos (Luc. 10.38-42).

Jesus os amava, por isto os ensinou. Primeiramente a Marta. Ela era muito servil, mas na sua imaturidade queira que Jesus e os outros que estavam com Ele, reconhecessem o seu trabalho. Necessitamos daqueles que servem na Igreja, mas a princípio somos muito infantis, e queremos atenção e reconhecimento do Senhor e de outros pelo nosso trabalho.

Em Lucas 10, Lázaro não é mencionado. Por quê? Na Igreja do Senhor, só é contado aquele que tem a vida da ressurreição. Em João 11, vemos como Jesus deixou que seu amigo morresse, para depois ser ressuscitado. Nós também temos que passar pela morte. Sem morte não há vida em Sua Igreja: "Insensato! o que tu semeias não é vivificado, se primeiro não morrer" (I Cor. 15.36); "E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve: Isto diz o que tem os sete espíritos de Deus, e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives, e estás morto" (Apoc. 3.1).

A terceira personagem é Maria. Maria estava assentada aos pés de Jesus ouvindo a Sua Palavra. É verdade que a posição de Maria era melhor do que a de seus outros dois irmãos, mas o Senhor nos ensina algo muito importante aqui também. Ele nos ensina aqui também que não podemos estar na Igreja somente assentados aos seus pés ouvindo a Sua Palavra. É necessário também praticá-la. Muitos ouvem, ouvem, mas não as põem por obras: "E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos" (Tiago 1.22).

Em Lucas 10 temos a Igreja do Senhor imatura, mas em João 12 podemos vê-la amadurecida. Marta continuava servindo, mas agora fazendo de coração ao Senhor. Lázaro estava agora assentado com Ele à mesa, e Maria não somente ouvia a Sua Palavra, mas derramou sua vida aos pés de Jesus. Que o Senhor nos faça crescer na graça e no conhecimento dEle, para que Ele encontre em nós uma Betânia amadurecida.

Segredos da Oração Pessoal

Madame Guyon

"Derrama o desejo de seu coração diante do Pai, e espera em silêncio diante dele"

Do coração. "Deve aprender a orar de seu próprio coração e não de sua cabeça. A mente de um homem é tão limitada em sua operação, que só pode enfocar-se sobre um objeto de cada vez, mas a oração que sai do coração não pode ser interrompida pela razão".

Mais fácil que respirar. "Precisamos conhecer como procurar Deus, e isto é mais fácil e mais natural que respirar. Por meio da oração podes viver na presença de Deus com tão pouco esforço, como vives com o ar que agora estás respirando".

A atitude correta. "Derrama o desejo de seu coração diante do Pai, e espera em silêncio diante dele. Sempre deixe um tempo em silêncio ao orar, caso o Pai celestial queira te revelar sua vontade. Venha ao Pai como um filho indefeso, ferido por diversas quedas, destituído da fortaleza para permanecer em pé, ou do poder para te limpar a ti mesmo".

Sem repetições. "Não carregue a ti mesmo com repetição freqüente de formas já feitas ou orações estudadas. É muito melhor ser totalmente conduzido pelo Espírito Santo".

Seca. "Não seja impaciente em seus momentos de seca, espera com paciência a Deus; ao fazer isto, sua vida de oração aumentará e será renovada. Em abandono e contentamento aprenda a esperar a volta de seu Amado".

Entrega. "Uma fé grande produz uma grande entrega. A entrega significa despojar-se de todos os desejos ou preocupações egoístas, com o objetivo de estar totalmente a sua divina disposição. Deve entregar tanto as coisas externas como as internas. Esqueças de ti mesmo; só pense nele. Ao fazê-lo, seu coração permanecerá livre e em paz".

O lactante. "Quando um menino bebe leite de sua mãe, começa movendo sua pequena boca e seus lábios; mas uma vez que seu alimento começa a fluir com abundância, fica quieto tragando sem nenhum esforço. Quem poderia crer que suavemente e sem esforço podemos receber nosso alimento como um bebê recebe seu leite? Entretanto, quanto mais em paz fica um menino, mais alimento recebe. É assim como seu espírito deveria estar na oração, aprazível, relachado e sem esforço".

Indignidade. "Tome cuidado de não deixar que sua mente se detenha muito em sua fraqueza e em seu imerecimento. Estes sentimentos excessivos surgem de uma raiz de orgulho, e de um amor a nossa própria excelência".

Jovens. "Ensina aos jovens a orar, não mediante raciocínio ou método, mas sim por meio da oração que sai do coração, a oração que sai do Espírito de Deus, ao invés do invento do homem. Guiá-los a orar em formas pré-elaboradas criará enormes obstáculos; ao esforçar-te em ensinar-lhes a linguagem refinada da oração, os terá extraviado. E vocês, meninos, falem com seu Pai celestial em sua linguagem natural. Embora seja simples para ti, não o é para ele. Um pai se agrada mais de que lhe falem com amor e respeito, porque vem do coração, ao invés de palavras elaboradas secas e estéreis".