domingo, 10 de abril de 2011

Como levar pessoas a Cristo
Lições básicas sobre a vida cristã prática

Watchman Nee


“Aquele que ganha almas é sábio” (Provérbios 11:30).

Olhemos o assunto de como conduzir pessoas ao Senhor a partir de dois ângulos: primeiro, nos aproximando de Deus em favor dos pecadores; e em seguida, nos aproximando dos pecadores da parte de Deus, e a técnica de como conduzir pessoas ao Senhor.

APROXIMANDO-NOS DE DEUS EM FAVOR DOS PECADORES

A oração é básica para a salvação das almas

Existe um princípio fundamental na salvação das almas, e é que, antes de falar com uma pessoa, devemos orar a Deus. Primeiro orarmos ao Senhor e em seguida poderemos falar. É absolutamente necessário interceder diante de Deus em favor da pessoa a quem será falado mais adiante. Se falarmos a ele antes de orar, não obteremos nada.

Portanto, a primeira coisa que devemos fazer é pedir a Deus algumas almas. «Todo o que o Pai me dá, virá a mim...» (João 6.37), disse o Senhor Jesus. E também recordamos como Deus acrescentava cada dia à igreja aos que iam sendo salvo (Atos 2.47). Devemos pedir a Deus pelas almas. Precisamos orar: «Oh Deus, nos dê almas para o Senhor Jesus, acrescente pessoas à igreja». As pessoas são dadas quando as pedimos. Os corações humanos são tão sutis que não se dobram com facilidade. Por isso, devemos orar fervorosamente por uma pessoa antes de lhe falar. A oração é vital. Ora nomeando a aquelas pessoas às quais desejamos conduzir a Cristo, creiamos que Deus as salvará, e então guiá-las ao Senhor.

O maior obstáculo para orar é o pecado

Os novos crentes devem estar especialmente atentos a rejeitar todos os pecados conhecidos. Devemos aprender a viver uma vida santa diante de Deus. Se alguém for permissivo no que se refere ao pecado, a sua oração será impedida completamente. O pecado é um problema grave. Muitos não podem orar porque toleram o pecado em suas vidas. O pecado não só obstruirá as nossas orações, como também fará naufragar a nossa consciência.

Os novos crentes deveriam ver que a questão do pecado deve ser resolvida se querem ser destros na oração. Portanto, deve ter em conta especialmente o valor inapreciável do sangue. Viveram no pecado tanto tempo que não poderão ser totalmente libertados do pecado se são, mesmo que levemente, indulgentes com ele. Precisam confessar um a um os seus pecados diante de Deus, pô-los um a um debaixo do sangue, rejeitar cada um deles, e serem livres deles. Assim a sua consciência será restaurada. Pela purificação do sangue, a consciência é restaurada imediatamente. Com o lavar do sangue, a consciência já não acusa e pode ver naturalmente o rosto de Deus. Nunca permita cair até um ponto em que te tornes fraco diante de Deus, porque então não poderás interceder em favor de outros. Portanto, esta questão do pecado é a primeira coisa que deves atender diariamente. Trate eficientemente com o pecado; então poderás orar sem tropeços diante de Deus e trazer pessoas a Cristo. Se recordares diariamente às pessoas diante do Senhor com fé, logo as ganhará para Cristo.

Orar com fé

Uma vez que os crentes se ocuparam a fundo com os seus pecados e chegaram a manter uma limpa consciência diante de Deus, necessitam de uma ajuda adicional para ver a importância da fé.

Na realidade, a vida de oração dos novos crentes está envolvida essencialmente com a consciência e a fé. Embora a oração seja algo profundo, para os novos crentes é só uma questão de consciência e de fé. Se a sua consciência diante de Deus está limpa, a sua fé será fortalecida com facilidade. E se a sua fé é suficientemente sólida, a sua oração será respondida facilmente. Portanto, é necessário que eles tenham fé.

O que é a fé? É não duvidar quanto está orando. É Deus quem nos impulsiona a orar. É Deus quem nos assegura que podemos orar a ele. Se orarmos, ele não pode senão nos dar uma resposta. Ele diz: «Batei, e abriser-vos-á». Como posso eu bater e ele negar-se a abrir? Ele diz: «Buscai, e achareis». Posso procurar e não encontrar? Ele diz: «Pedi, e vos será dado». É absolutamente impossível que peçamos e não nos dê. Quem nós pensamos que é o nosso Deus? Deveríamos ver quão fiéis e confiáveis são as promessas de Deus.

A fé vem pela palavra de Deus. Porque a palavra de Deus é como dinheiro na mão, que pode ser tomado e ser utilizado. A promessa de Deus é a obra de Deus. A promessa nos diz qual é a obra de Deus, e a obra nos manifesta a promessa de Deus. Se crermos na palavra de Deus e não duvidarmos, habitaremos na fé e veremos quão digno de confiança é tudo o que Deus tem dito. Nossos rogos serão respondidos.

APROXIMANDO-NOS DOS PECADORES DA PARTE DE DEUS

Não basta só orarmos pelos pecadores e irmos diante de Deus em favor deles. Também devemos nos aproximar deles em nome de Deus. Precisamos lhes dizer como Deus é. Muitas pessoas se atrevem a falar com Deus, mas carecem de valor para falar com os homens. Os jovens devem ser treinados para falar com outros com ousadia. Necessitam não apenas orar, mas também oportunidades de falar.

Ao falar com as pessoas, há algumas coisas que devem ser observadas especialmente.

Nunca discuta desnecessariamente

Para falar com as pessoas, necessitamos um pouco de técnica. Acima de tudo, não devemos entrar em discussões desnecessárias. Isto não significa que nunca devemos discutir, porque em Atos encontramos várias instâncias onde houve discussão; até o apóstolo Paulo discutiu. Se você tiver que discutir, argumenta com uma pessoa em benefício de uma terceira pessoa que estiver ouvindo. Mas com aquele a quem desejas ganhar para Cristo, geralmente é preferível não discutir. Não discuta com ele nem argumente para que ele ouça. Por quê? Porque a discussão pode afugentar as pessoas em vez de atraí-las. Precisa mostrar um espírito aprazível; de outro modo, elas fugirão de ti.

Muitos pensam que a discussão pode comover o coração de uma pessoa. Mas não é assim. A argumentação, além disso, traz apenas a sujeição à mente das pessoas. Portanto, é preferível falar menos palavras da nossa mente e em troca testificar mais. Fale-lhes do gozo, da paz e do descanso que experimentaste depois que creste no Senhor Jesus. Estes são fatos que ninguém pode rebater.

Utilizando os fatos

Outro método para conduzir pessoas ao Senhor é utilizar fatos, não doutrinas, enquanto fala. Não é por causa do caráter razoável da doutrina que as pessoas vêm à fé. Muitos vêem a lógica da doutrina, mas mesmo assim não crêem.

Freqüentemente é o simples que pode salvar almas. Aqueles que são eloqüentes em pregar doutrinas podem corrigir as mentes das pessoas, mas são incapazes de salvar almas. O objetivo é salvar às pessoas, não corrigir as suas mentes. Qual é o proveito de ter uma mente correta, se o deixarmos sem salvação?

Mantenha uma atitude sincera e séria

Ao testificar, a nossa atitude deve ser sincera e séria, não dada à frivolidade. Não devemos discutir, mas apenas dar a conhecer os fatos do que experimentamos diante de Deus. Se permanecermos nesta posição, poderemos conduzir a muitos ao Senhor. Não trate de ter um grande cérebro; só sublinhe os fatos. Podemos brincar a respeito de outros assuntos, mas nesta matéria devemos ser sinceros.

Peça a Deus oportunidades

Devemos rogar a Deus que nos dê oportunidades de falar com as pessoas. Se orarmos, nos darão essas oportunidades. Algumas pessoas parecem ser difíceis de serem abordadas. Mas se você rogar por elas terá ocasião de lhes falar e elas serão mudadas.

Portanto, devemos aprender a orar e também a falar. Muitos não se atrevem a abrir a sua boca para falar do Senhor Jesus a seus amigos e familiares. Quem sabe as oportunidades o estejam aguardando, mas você as tem deixado escapar porque tem medo.

Procure pessoas de tua própria categoria

Segundo a nossa experiência, é preferível que as pessoas procurem salvar aquelas de sua própria categoria. Esta é uma regra comum. As enfermeiras podem trabalhar entre as enfermeiras, os doutores entre doutores, os pacientes entre pacientes, os funcionários públicos entre funcionários públicos, os estudantes entre estudantes. Trabalhe com aqueles que são mais próximos de ti. Não necessitas começar com reuniões ao ar livre, mas com a sua família e conhecidos. É natural para os doutores trabalhar com seus pacientes, os professores com seus estudantes, os patrões com os seus empregados, os amos com os seus servos.

Não digo que não haja exceções, pois há algumas. O nosso Senhor Jesus mesmo nos deu alguns exemplos excepcionais. No entanto, esta regra com respeito às pessoas da mesma categoria, no geral, é preferível. Que um mineiro pregue em uma universidade é excepcional. Ainda que o Senhor faça às vezes coisas excepcionais; contudo, ele não pode esperar fazer tais coisas diariamente. Por exemplo, não é muito apropriado para uma pessoa muito culta falar com os operários em um cais. Mas se alguns estivadores são salvos e saem para salvar o restante, parece-me um contato mais adequado e mais fácil.

Traga pessoas diante de Deus diariamente, através da oração

Nunca haverá um tempo em que não haja ninguém para se orar. Você pode orar por seus companheiros de estudo, por seu parceiro, seus colegas profissionais ou colegas de trabalho. Peça a Deus que ponha especialmente um ou dois deles em seu coração. Quando ele puser uma pessoa em seu coração, escreve o seu nome em seu registro e clame diariamente por ela.

Depois que tiver começado a orar por uma alma, deve também falar com aquela pessoa. Fale-lhe da graça do Senhor para ti. Isto é algo que não poderá resistir ou esquecer.

A tempo e fora de tempo

Finalmente, desejo mencionar que não é proibido falar com aqueles pelos quais não orou antes. Haverá alguns a quem falará quando os encontrar pela primeira vez. Aproveite cada oportunidade; fale a tempo e fora de tempo, porque você não sabe em quem prosperará. Deve abrir a sua boca freqüentemente, assim como deve orar sempre.

Clame por aqueles que você tem os nomes e clame por muitos cujos nomes você desconhece. Ore para que o Senhor salve pecadores. Quando te encontrares casualmente com um pecador, se o Espírito de Deus te mover, fale-lhe.

Traduzido do «Spiritual Exercise».
Christian Fellowship Publishers.