terça-feira, 23 de setembro de 2014

Guiados pelo Espírito

"Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, estes são filhos de Deus" (Rom. 8.14).

No original grego encontramos duas palavras para definir um filho de Deus: teknós e huiós. Os teknós são todos os filhos recém-nascidos, os bebês ou criancinhas em Cristo, e os huiós são os filhos maduros.
Quando nascemos de novo já temos o Espírito, pois somos nascidos do Espírito, mas ainda não aprendemos a ser guiados pelo Espírito. As nossas faculdades ainda não estão exercitadas. A princípio, na grande maioria das vezes somos guiados pela carne, causando muitos problemas para nós e para outros: "E eu, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo. Com leite vos criei, e não com carne, porque ainda não podíeis, nem tampouco ainda agora podeis" (I Cor. 3.1-2).
O propósito do Senhor é que cresçamos espiritualmente, e não fiquemos como meninos inconstantes, e para isto Ele proveu para os seus filhos toda a suficiência através do Espírito, mediante o ministério da Palavra e dos santos aperfeiçoados, dos filhos amadurecidos (Ef. 4.11-14).
Para entendermos isto, temos que ir para o livro de Atos capítulo 6, onde o Espírito destaca dois deles: Estevão e Filipe. Esses dois irmãos foram escolhidos junto com outros sete para se encarregarem de servir as mesas das viúvas dos helenistas. Estes eram huiós, homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria. Homens que serviam a Igreja, mas não somente isto, eram guiados pelo Espírito Santo.
Estevão foi o primeiro mártir da Igreja. Ele fazia grandes sinais e prodígios entre o povo, quando se levantaram alguns da sinagoga dos cirineus, o arrebataram e o levaram ao sinédrio onde depois foi apedrejado (Atos 7). Logo em seguida, no capítulo 8, fala de Filipe pregando a Palavra em Samaria e depois foi a Gaza para se encontrar com um eunuco etíope, pregando-lhe a Cristo.
Filipe sabemos que saiu pregando após a perseguição, mas e Estevão? Ele deixou o seu ministério entre as viúvas para fazer coisas que não devia e por isso foi morto? Ele se rebelou contra a autoridade dos irmãos e deixou os seus afazeres para seguir os seus próprios desejos? Certamente que não, eles eram homens cheios do Espírito, portanto, guiados pelo Espírito.
Todo filho huiós, como nos ensina Romanos 8.14, é guiado pelo Espírito. Todo o que é guiado pelo Espírito não se inclina para as coisas da carne, mas para as coisas do Espírito (Rom. 8.5). Todo filho maduro se torna efetivo tanto para a Igreja do Senhor como para o próprio Senhor. Tanto para os homens como para Deus.


Por isso um filho huiós não pode ser estabelecido nem controlado por homens. A Igreja tem um cabeça, e tudo provém dele. Os filhos huiós são guiados pelo Espírito, por isso devem obedecer ao Espírito, e estarão obedecendo ao cabeça. Mas isto não o torna negligente para com os homens. Os filhos huiós fazem com que os filhos teknós cresçam para também serem guiados pelo Espírito e se tornem efetivos tanto para Deus como também para os homens, e assim cumpram o seu ministério, como Jesus, diante de Deus e diante dos homens.